SINOPSE

Recorrendo a vasto material de arquivo, entre cinejornais, fotografias, cartas, filmes familiares e de ficção, trechos de diário e canções populares, o documentário reavalia a herança do período ditatorial de Getúlio Vargas (1937-1945). Através da comparação e análise desses registros heterogêneos, produzidos para fins diversos, da propaganda política à celebração familiar, o filme explora as diversas camadas da trama política do regime do Estado Novo, expondo suas fontes de inspiração externas, sua forma de funcionamento e contradições.

Apresentação

Imagens do Estado Novo 1937 – 45, dirigido por Eduardo Escorel e produzido por Cláudio Kahns, da Tatu Filmes e Brasil 1500, revela um momento político crucial, mas pouco conhecido da história do Brasil. O filme estreia no dia 15 de março em São Paulo e no Rio de Janeiro no Espaço Itaú de Cinemas. Com duração de 3h47min, as sessões têm um intervalo de 15 minutos. O documentário foi premiado no Festival É Tudo Verdade com Menção Honrosa e no Festival Recine - Festival Internacional de Filmes de Arquivo como Melhor Filme Júri Popular e Melhor Pesquisa.  

    Constituído por material de arquivo em parte inédito, o filme reavalia a herança do período ditatorial de Getúlio Vargas, a censura, as conspirações subversivas, e as contradições entre o apoio ao nazismo ou aos países aliados, além da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Eduardo Escorel e Claudio Kahns chegaram a esses materiais após pesquisa para os documentários anteriores, 1930 – Tempo da Revolução, 32 – A Guerra Civil e 35 – O Assalto Ao Poder

    Através da comparação e análise de materiais tão heterogêneos, Imagens do Estado Novo 1937 – 45 desvenda a trama política do regime ditatorial do Estado Novo, e os três golpes do período, assunto que adquiriu inesperada atualidade diante do sensível momento da atual política brasileira. O tempo total de produção, a partir do registro na Biblioteca Nacional do primeiro argumento, em 2003, foi de 12 anos. Finalizado em dezembro de 2015, o filme estreou no Festival É Tudo Verdade, em 2016. 

 

Comentários

“O portentoso documentário Imagens do Estado Novo 1937-45 mostra como Getúlio Vargas oscilou entre a Alemanha e os Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial e só se decidiu pelos Aliados quando não podia mais manter a equidistância.”

PÁGINA B!

O documentário desnuda a ambiguidade e o poder manipulador do discurso getulista. O desafio de Escorel foi oferecer uma visão critica sobre o tema

ISTO É

 
 

© 2018 TATU FILMES